.mais sobre mim
.Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
.posts recentes

. Felizmente há luar - test...

. Felizmente há luar - Ques...

. Luís de Sttau Monteiro

. Camões

. Fábulas

. FICHA DE EXERCÍCIOS – “AU...

. Declinação na língua port...

. Palavras Homónimas

. Complemento directo

. Predicado

.tags

. acentuação(1)

. advérbios(1)

. caça ao erro 2(1)

. camões(1)

. conto popular(1)

. declinações(1)

. fábulas(1)

. ficha de exercícios - adjectivos(1)

. ficha de exercícios - adjectivos 2(1)

. ficha de verbos(1)

. funções sintáticas(3)

. gil vicente(1)

. grau dos adjectivos - exercício1(1)

. história da língua portuguesa(1)

. homófonas(1)

. homógrafas(1)

. luis de sttau monteiro(3)

. ortografia - g/j(1)

. palavras homógrafas(1)

. palavras homónimas(2)

. parónimas(1)

. poetas(1)

. preposições(1)

. registos de língua(1)

. testes(3)

. todas as tags

.arquivos

. Janeiro 2009

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

.links
.pesquisar
 
.Gramáticos desde Janeiro 08
online
Segunda-feira, 14 de Julho de 2008
Fábulas

A fábula é uma narrativa alegórica, em forma de prosa ou verso, cujos personagens são geralmente animais com características humanas, sustentam um diálogo, cujo desenlace reflete uma lição de moral, característica essencial dessa. É uma narrativa inverossímel, com fundo didático. Quando os personagens são seres inanimados, objetos, a fábula recebe o nome de apólogo. A temática é variada e contempla tópicos como a vitória da fraqueza sobre a força, da bondade sobre a astúcia e a derrota de presunçosos.

Já entre assírios e babilônios a fábula era cultivada. Foi o grego Esopo, contudo, quem consagrou o gênero. La Fontaine foi outro grande fabulista, imprimindo à fábula grande refinamento. George Orwell, com sua Revolução dos Bichos (Animal Farm), compôs uma fábula (embora em um sentido mais amplo e de sátira política).

As literaturas portuguesa e brasileira também cultivaram o gênero com Sá de Miranda, Diogo Bernardes, Manoel de Melo, Bocage, Monteiro Lobato e outros.Uma fábula é um conto em que as personagens falam sendo animais e que há sempre uma frase a ensinar-nos alguma coisa para nós não cometer-mos erros.

 

tags:
publicado por paulacalcadaalves às 14:44
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 6 de Julho de 2008
FICHA DE EXERCÍCIOS – “AUTO DA BARCA DO INFERNO”

Episódio: “O Fidalgo”

 

1. Indica a razão por que o Fidalgo é a primeira personagem a entrar em cena.
2. Identifica os elementos simbólicos que ligam o Fidalgo à classe social a que pertence.
2.1. Descobre o simbolismo desses elementos.
2.2. Explica como esses elementos são já uma indicação da sua condenação.
3.  Faz o levantamento das passagens das falas do Diabo que, neste momento da cena, revelam a irremediabilidade do destino do Fidalgo.
4. Indica os argumentos de ordem social utilizados pelo Fidalgo para forçar a sua entrada na barca do Anjo.
5. Retira das réplicas do Anjo uma passagem que ilustre o facto de a sua barca ser a dos humildes.
6. «Não vindes vós de maneira/ pêra ir neste navio» (versos 92-93). Que objectos refere o Anjo para comprovar esta sua afirmação?
6.1. Observando os restantes versos dessa réplica do Anjo, diz que pecados do Fidalgo são representados por tais objectos.
7. Atenta no momento em que o Fidalgo regressa à barca infernal. O comportamento deste altera-se. Concordas com esta afirmação? Porquê?
8. Observa os versos 128-147 e 148-159, onde são referidas duas mulheres com quem o Fidalgo se relacionou em vida. Quem eram essas mulheres? Que características as uniam?
9. Aponta razões para o Diabo dispensar o Pajem e a cadeira d’espaldas.

 

 

publicado por paulacalcadaalves às 22:54
link do post | comentar | favorito
|